You are currently viewing Diferença entre\ fome e vontade de comer: você conhece?

Diferença entre\ fome e vontade de comer: você conhece?

A diferença entre a fome e vontade de comer, embora seja uma velha conhecida de muitas pessoas, nem sempre é identificável na hora em que chega.

Ao bater o impulso por consumir um item alimentício, nem sempre relacionamos exatamente qual vazio pretendemos preencher.

Será uma deficiência de nutrientes? Nosso organismo de fato está necessitando de alimentos? Ou trata-se apenas de uma reação emocional a estímulos?

Hoje, vou tratar desse assunto tão importante para os dias atuais.

O que é a fome?

A fome é uma necessidade fisiológica assim como a vontade de urinar, o sono e o impulso sexual. Isso significa que o próprio organismo envia sinais de que precisa se nutrir ao seu cérebro.

Afinal, nutrientes são necessários para que tenhamos energia, disposição e que nossos órgãos funcionem ordenadamente.

Logo, os sinais de fome são muito evidentes. Entre eles, podemos citar:

  • Leve sinal de tontura;
  • Dores de cabeça;
  • Falta de concentração;
  • Leve mau humor;
  • Desconforto gástrico;
  • Roncos abdominais

Esses são sintomas que o corpo pede comida e devem ser respeitados!

Muitas vezes, sequer esperamos por esses sinais para comer, o que tem seu lado positivo e negativo.

Ao ingerir alimentos antes de sentir fome, diminuímos as chances de comer demais.

No entanto, pode ser que não aproveitemos tão bem os momentos que o organismo pede pela comida. É importante distinguir bem isso.

Fique atento: a fome não escolhe o alimento

Quando dizemos que estamos com “fome de macarronada”, ou de pizza, ou qualquer outro item, é preciso acender o alerta vermelho!

A fome indica a necessidade de algum elemento que a célula está pedindo para ser nutrida.

Por outro lado, a vontade de comer está mais relacionada à satisfação que um tipo de alimento pode trazer. Em geral, são alimentos prejudiciais à saúde, ricos em calorias vazias ou de baixa qualidade nutricional.

A vontade de comer costuma ser desencadeada por algo emocional. Pode ser estresse? Com certeza! Quando a pessoa sente que passa muitas horas trabalhando e, ao final do dia, busca uma recompensa no alimento calórico que satisfaz o paladar, mas, não nutre o organismo.

Isso pode gerar compulsao alimentar e fome oculta. O estômago fica cheio de comida, porém, o organismo não fica nutrido.

O que nutre a célula é a fome, quando o indivíduo escolhe alimentos bons para a saúde a fim de saciar suas necessidades nutricionais. Enquanto isso, a vontade de comer potencializa a ingestão de alimentos que engana, não nutre a célula, libera neurotransmissores momentâneos de prazer e gera dependência.

Enquanto a fome é benéfica, a vontade de comer vai contra a fisiologia humana, pois gera desconforto e dependência de algum alimento.

Suprir com alimentos o que falta internamente nunca foi a solução

Caso seja essa a questão, é preciso desenhar estratégias para resolver o que é necessidade da alma.

Pode ser um silenciamento, uma boa gestão do estresse, um bom degustar um alimento…

Comer consciente equilibra a mente! Mastigar o alimento com tempo para que o organismo possa digeri-lo comunica ao sistema digestivo os primeiros sinais de saciedade.

Por isso, defendo tanto a medicina do corpo inteiro. Quando compreendemos os sinais que nosso corpo envia e saciamos da maneira correta, atingimos o equilíbrio.

Espero que este artigo tenha evidenciado a diferença entre fome e vontade de comer.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.