You are currently viewing Qual a função da ocitocina para nosso corpo?

Qual a função da ocitocina para nosso corpo?

Às vezes é chamada de “hormônio do amor”, a ocitocina é um hormônio fundamental para o nosso organismo, e que se eleva em momentos como o parto, o abraço ou o orgasmo.

Também pode ter benefícios como tratamento para várias condições, incluindo depressão, ansiedade e problemas intestinais. Está ainda associada à empatia, confiança, atividade sexual e construção de relacionamentos.

É por isso que recebe o apelido de hormônio do amor. Mas seus benefícios vão muito além, como explico no artigo abaixo! Confira!

O que é ocitocina?

A ocitocina é um hormônio produzido no hipotálamo e é secretada na corrente sanguínea pela glândula pituitária posterior. 

Mas a secreção depende da atividade elétrica dos neurônios no hipotálamo — ela é liberada no sangue quando essas células são excitadas.

As duas principais ações da ocitocina no corpo são a contração do útero durante o parto e a  lactação. Além disso, o hormônio estimula a contração dos músculos uterinos e também aumenta a produção de  prostaglandinas, que aumentam ainda mais as contrações. 

Além disso, durante a amamentação, a ocitocina promove o movimento do leite pelos ductos da mama, permitindo que seja excretado pelo mamilo. 

Aliás, o hormônio também está presente nos homens, desempenhando um papel no transporte de espermatozoides e na produção de testosterona pelos testículos.

No cérebro, a ocitocina atua como mensageiro químico e tem um papel importante em muitos comportamentos humanos.

Ocitocina e emoção

Quando a ocitocina entra na corrente sanguínea, afeta o útero e a lactação, mas quando é liberada em certas partes do cérebro, pode afetar os comportamentos emocionais, cognitivos e sociais.

Uma revisão da pesquisa sobre a ocitocina afirma que o impacto do hormônio nos “comportamentos pró-sociais” e nas respostas emocionais contribui para o relaxamento, a confiança e a estabilidade psicológica.

Mas o hormônio também parece reduzir as respostas ao estresse, incluindo a ansiedade. Esses efeitos foram observados em várias espécies de seres vivos, incluindo o homem.

O hormônio foi descrito como um componente importante de um sistema neuroquímico complexo que permite que o corpo se adapte a situações altamente emotivas.

Leia também::: Quais são os perigos do açúcar?

O hormônio do amor

Além de seus papéis no parto, amamentação e vínculo parental, ainda há muito a aprender sobre a ocitocina. 

À medida que a história desse hormônio notável e multifacetado continua a se desenrolar, os potenciais terapêuticos são imensos e emocionantes.

Dito isto, os cientistas estão procedendo com cautela, especialmente quando se trata de usar a ocitocina como um tratamento potencial. 

Embora a ocitocina se associe principalmente a efeitos positivos (o “hormônio do amor” ou “produto químico do abraço”), em alguns estudos, tem a efeitos negativos, como inveja, agressão e medo.

Portanto, desvendar as nuances da ocitocina e quem pode se beneficiar de tomá-la requer uma investigação muito mais crítica.

E para mais informações, compartilho também com vocês um vídeo que gravei para o meu canal do Youtube, onde falo mais sobre a ocitocina e seu papel no organismo. É só dar o play abaixo!

Deixe um comentário