You are currently viewing Colesterol: Será que ele realmente é um vilão da saúde?

Colesterol: Será que ele realmente é um vilão da saúde?

Infelizmente há ainda um mito muito grande entre a relação colesterol e saúde. Muitos acham que essa molécula é uma vilã, quando ao contrário, ela é primordial para a nossa saúde.

Nosso corpo produz 85% do colesterol, e apenas 15% vem da fonte de alimentos. Ela é uma molécula importantíssima, que reveste a membrana celular de praticamente todas as células do nosso corpo. 

Ela também tem um papel vital no sistema nervoso central. Isso acontece porque o colesterol é a matéria-prima para a formação da bainha mielínica, que é a estrutura que protege nossos neurônios.

Mas infelizmente, já essa visão de que colesterol e saúde são vilões. E não é isso gente. Para saber mais, confira o artigo que preparei sobre esse tema. 

Vilões e não-vilões

Essa crítica ao colesterol deve-se principalmente pela falta do conhecimento. O colesterol, como mencionei acima, é muito importante para o nosso organismo, mas em alguns momentos ele deve ser motivo de atenção.

Quando ele está muito alto, pode significar que estamos com alguma deficiência hormonal em nosso corpo.

Isso acontece porque essa molécula é também matéria-prima para a formação de alguns hormônios, principalmente os androgênicos, que são os hormônios sexuais. 

Eles mantêm a vitalidade dos ossos, dos músculos, dos vasos sanguíneos, e também da parte reprodutora. 

O excesso de colesterol pode ser sinal de uma deficiência hormonal. A falta de uma produção hormonal, ou mesmo a utilização de fármacos que têm atuação hormônio simili, bloqueiam a produção natural de hormônio, como os anticoncepcionais.

O grande risco do colesterol é quando temos uma inflamação no sangue, principalmente à base de glicose. Quando nossa alimentação é rica em carboidratos refinados, de açúcar refinado, isso aumenta muito nossos níveis de glicose e nível de insulina.

E essa soma de glicose, insulina e hemoglobina glicada altas no sangue causam oxidação as moléculas do colesterol. Temos duas lipoproteínas de transporte, que é o LDL (lipoproteína de baixa densidade) e o HDL (lipoproteína de alta densidade). 

A LDL às vezes é tida como colesterol ruim, mas não tem nada disso. Ela é apenas uma lipoproteína que transporta moléculas de colesterol e é ela que transporta a maioria do colesterol para o cérebro. 

Leia também::: Estilo de vida: a medicina sem remédio que é a porta da longevidade

Inflamações em nosso corpo

Mas quando nosso corpo está inflamado, e principalmente às custas de glicose e açúcar, essa glicose oxida a molécula de colesterol. Com isso, ela perde a capacidade de transportar o colesterol par o cérebro, para formar a bainha de mielina

Como resultado, ocorre a deposição desse LDL na corrente sanguínea e que vai se transformar em ateromatose.

Quando um corpo está inflamado, o vaso inflamado fica mais friável. Imagine um dedo inflamado, ele fica soltando aquele líquido e fica mais fácil que qualquer coisa pregue nele. Um algodão fica preso, um pedaço de papel fica grudado nesse dedo inflamado. 

O mesmo acontece no vaso sanguíneo inflamado, friável. Uma molécula de LDL oxidada por conta do açúcar, ficará presa nesse vaso sanguíneo inflamado, causando a deposição.

É isso que acontece e esse é o grande problema do colesterol alterado. Ela causa uma inflamação crônica no sangue e essa inflamação deixa o vaso sanguíneo friável.

Quando temos uma boa alimentação, uma boa prática de atividades físicas regulares, e marcadores de inflamação estão normais no sangue, o colesterol não é problema. 

Ele estará sendo usado para nutrir e hidratar nossas membranas celulares neuronais ou celulares de um corpo como um geral.

Colesterol é o mocinho

Ou seja, o colesterol precisa ser visto como uma molécula a favor da vida. E muitos alimentos melhoram a produção de colesterol, como os que são ricos em gorduras naturais nos próprios alimentos. 

Por exemplo o abacate, o óleo de coco, o azeite de oliva, e o próprio ovo. Ou seja, são alimentos bons para a saúde, eles aumentam a produção do nosso colesterol e automaticamente melhoram a hidratação e o bom funcionamento dos nossos neurônios e da nossa produção hormonal.

O cuidado deve ser sempre com os alimentos industrializados e ricos em açúcares. Ou então aqueles que se transformam em açúcar em nosso sangue, como as massas e os carboidratos em geral.

Eles sim acabam alterando essa molécula de colesterol e a transformam em vilã.

Lembre-se que só 15% dos níveis de colesterol vem da nossa alimentação. Os outros 85% são produção do nosso corpo de acordo com nossa demanda. 

Colesterol alto

Então  se você tem um colesterol alto, a primeira dica que dou é ver como está sua alimentação em nível de alimentos industrializados. Preste atenção aos seus níveis de glicose, insulina e hemoglobina glicada. 

Preste atenção também aos seus níveis hormonais. Hormônios sexuais como o estradiol, progesterona, testosterona, DHEA, hormônios da tireóide. Todos esses alteram nossa produção de colesterol para mais, pois se nosso corpo está deficiente, ele tentará aumentar a matéria-prima que origina a produção desses hormônios. 

Por exemplo, a maioria das mulheres menopausadas têm colesterol alterado. O mesmo acontece com a maioria dos homens acima de 40, 50 anos, que têm colesterol alterado. 

Esse grupo de pessoas em geral possuem hormônios baixos. Homens com a testosterona, e as mulheres com o estradiol, a progesterona, HDEA, e a testosterona. Isso acaba gerando uma demanda maior do corpo para produzir colesterol.

Leia também::: Quais hábitos você deve adotar hoje se quiser viver 100 anos?

Colesterol e saúde

Dessa forma, precisamos olhar o colesterol como um aliado, um amigo do nosso organismo. Ou seja, colesterol e saúde andam juntas.

Portanto, precisamos enxergar que ele alto está indicando que nosso corpo está precisando de mais colesterol, e isso precisa ser investigado. Mas é muito importante acompanhar essas alterações hormonais e as tratar.

Temos que parar de usar medicamentos para baixar algo que nosso corpo está mostrando que há algo de errado. Os medicamentos utilizados para colesterol, se prestar atenção, a maioria deles causa alteração da memória e proporciona dores musculares. 

Aliás, isso acontece pelo fato da bainha que envolve os nervos, tanto em nível de sistema nervoso central, quanto em nível muscular, está prejudicada pela falta do colesterol.

Ou seja, ele não é vilão, ele ajuda. E o colesterol LDL oxidado pelo excesso de glicose, de insulina e de hemoglobina glicada é o que causa o perigo ao nível alto do colesterol.

Tirando isso, o colesterol é só amor. Espero que tenha gostado do artigo sobre colesterol e saúde. E para entender ainda mais sobre o tema, confira o e-book que preparei sobre a verdade do colesterol. É só clicar no botão abaixo

Deixe uma resposta