You are currently viewing Qual a relação entre doenças autoimunes e intestino?

Qual a relação entre doenças autoimunes e intestino?

Você sabia que há uma relação muito estreita entre doenças autoimunes e intestino? E uma prova disso é que a grande maioria dos processos de doença iniciam nosso sistema intestinal.

Através do alimento que damos ao nosso corpo e ele não reconhece, esse processo começa a inflamar o nosso corpo. 

Corpo inflamado pelo consumo de glúten, leite de vaca, corantes, intoxicantes, tudo isso é tem seu processamento iniciado no intestino. 

Por isso é tão importante entender o funcionamento do sistema digestivo para compreender a relação entre as doenças autoimunes e o intestino.

Para explicar isso tudo de forma detalhada, preparei o artigo abaixo e que você pode conferir agora mesmo!

Nossa microbiota intestinal

À medida que os pesquisadores continuam a procurar fatores ambientais que causam doenças autoimunes, muitos estão voltando as lentes para o próprio corpo humano. Em especial, para as vastas redes de comunidades microbianas que habitam em nosso intestino.

Os seres humanos são hospedeiros de uma variedade de vida microscópica. Aliás, com vários trilhões de seres, comunidades microbianas compostas por bactérias, fungos, protozoários e vírus ocupam várias partes do corpo. 

Seu material genético é conhecido coletivamente como microbioma. Ou seja, esses micróbios podem ser até duas vezes mais prevalentes do que as células humanas, e o microbioma de cada pessoa pode pesar até 2,2 quilos.

Doenças autoimunes e intestino

As colônias microbianas apoiam a saúde humana de várias maneiras. A microbiota intestinal está envolvida na digestão de nutrientes, síntese de vitaminas e vários outros processos metabólicos. 

Também influencia o desenvolvimento e a manutenção do sistema imunológico.

Assim como o microbioma é considerado essencial para a saúde humana, alguns estudos sugerem que desequilíbrios no microbioma podem ser um ativador de doenças — incluindo condições autoimunes.

Alterações no microbioma, amplamente conhecidas como disbiose, podem resultar de uma variedade de fatores, incluindo dieta, toxinas, patógenos e muito mais. 

Patógenos que atacam os intestinos são os mais influentes na promoção da disbiose microbiana. 

Mas em estudos com animais, os pesquisadores observaram que patógenos virais transmitidos por alimentos podem alterar a composição do microbioma, desencadear inflamação e contribuir para o desenvolvimento de autoimunidade. 

Leia também::: 4 benefícios da cúrcuma para a saúde

Alteração e inflamação do corpo

Os pesquisadores ainda precisam determinar qual microbiota específica está diretamente envolvida na regulação dos mecanismos inflamatórios. 

No entanto, muitos acreditam que as bactérias encontradas na camada de muco do intestino podem ser a chave para entender mais sobre como o microbioma se relaciona com a saúde e a doença.

Embora mais investigações sejam necessárias, muitos pesquisadores suspeitam que doenças autoimunes, bem como algumas outras condições crônicas, possam ter suas origens no microbioma intestinal​. 

Os cientistas estão atualmente estudando a relação entre a saúde dos micróbios intestinais e as seguintes doenças autoimunes:

Lúpus 

Os microbiomas de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES) mostraram uma significativa diminuição da diversidade microbiana, bem como um aumento de uma espécie específica, Ruminococcus gnavus. Essas tendências. por exemplo, também se correlacionaram com a gravidade da atividade da doença. 

Doença inflamatória intestinal 

Existe uma ligação aparente entre os surtos da doença de Crohn e os surtos transitórios de Ruminococcus gnavus. Ela é uma parte típica do microbioma, mas produz quantidades prejudiciais de polissacarídeos inflamatórios quando presentes em números anormalmente elevados. 

Diabetes tipo 1

Por exemplo, o aumento da permeabilidade da barreira epitelial do intestino, conhecido como “intestino permeável”, foi observado em pacientes com diabetes tipo 1 e acredita-se que seja uma característica primária da doença. Pesquisas sugerem que a disbiose “pode influenciar a patogênese do diabetes, afetando a homeostase imunológica e/ou a permeabilidade intestinal”.

Esclerose múltipla 

Em estudos, os pacientes com esclerose múltipla apresentam disbiose, especificamente na ausência ou superprevalência de vários gêneros e espécies de micróbios. Aliás, entre estes, algumas espécies têm sido implicadas em um aumento da expressão de genes que estão envolvidos tanto na imunidade inata quanto na adaptativa.

Artrite reumatoide 

Em comparação com os microbiomas de controles saudáveis, estudos indicam que vários táxons de bactérias são abundantes em pacientes com artrite reumatoide, enquanto alguns outros estão esgotados. Dessa forma, certas bactérias que são significativamente enriquecidas nos microbiomas de pacientes com a doença demonstraram induzir inflamação intestinal que leva a artrite grave em modelos animais. 

Leia também::: O que acontece com seu corpo se você não dorme o suficiente?

Uma ligação complexa

Como fica evidente, há uma ligação complexa entre as doenças autoimunes e o intestino. No entanto, mais pesquisas são necessárias para determinar se anormalidades no microbioma intestinal são uma causa de doença autoimune, um efeito ou ambos.

Por fim, espero que tenham compreendido a ligação entre doenças autoimunes e intestino e, para mais dicas e muita informação sobre saúde e longevidade saudável, siga também meu canal do Youtube!