You are currently viewing Qual a diferença entre inflamação aguda e inflamação crônica subclínica?

Qual a diferença entre inflamação aguda e inflamação crônica subclínica?

A inflamação faz parte do mecanismo de defesa do corpo e desempenha um papel no processo de cura.

Quando o corpo detecta um intruso, ele lança uma resposta biológica para tentar expulsá-lo do nosso organismo.

E esse invasor pode ser um corpo estranho, como um espinho, um irritante ou um patógeno. Os patógenos incluem bactérias, vírus e outros organismos que causam infecções.

Às vezes, o corpo percebe erroneamente suas próprias células ou tecidos como prejudiciais. Essa reação pode levar a doenças autoimunes.

No artigo de hoje falo sobre dois tipos de inflamação: a aguda e a crônica subclínica. Vamos entender as diferenças?

O que é inflamação aguda?

Uma lesão ou doença pode envolver inflamação aguda ou de curto prazo. Existem cinco sinais principais de aguda:

  • Dor: pode ocorrer continuamente ou apenas quando uma pessoa toca a área afetada.
  • Vermelhidão: Isso ocorre devido a um aumento no suprimento de sangue para os capilares na área.
  • Perda de função: pode haver dificuldade para mover uma articulação, respirar, sentir o cheiro e assim por diante.
  • Inchaço: uma condição chamada edema pode se desenvolver se houver acúmulo de líquido.
  • Calor: o aumento do fluxo sanguíneo pode deixar a área afetada quente ao toque.

Esses sinais nem sempre estão presentes. Às vezes, a inflamação é “silenciosa”, sem sintomas. Uma pessoa também pode se sentir cansada, geralmente indisposta e ter febre.

Os sintomas de inflamação aguda duram alguns dias, enquanto o corpo de recupera do processo inflamatório.

Quando a inflamação está presente no corpo, haverá níveis mais altos de substâncias conhecidas como biomarcadores.

Por exemplo, um biomarcador é a proteína C reativa (PCR) — se um médico quiser fazer um teste de inflamação, ele pode avaliar os níveis de PCR.

Leia também::: Entenda a importância do hormônio GH

O que é a inflamação crônica subclínica?

A inflamação crônica subclínica pode se desenvolver se uma pessoa tiver sensibilidade. Dessa forma, a inflamação ocorre quando o corpo sente algo que não deveria estar ali. A hipersensibilidade a um gatilho externo pode resultar em uma alergia.

Às vezes, a exposição de longo prazo e de baixo nível a um irritante, como um produto químico industrial, pode resultar em inflamação crônica subclínica.

Além disso, quando o sistema imunológico ataca erroneamente o tecido saudável normal, como na psoríase, causando doença autoimune.

E por fim, em alguns casos uma pessoa pode não se recuperar totalmente da inflamação aguda. Às vezes, isso pode levar à crônica.

Fatores que podem aumentar o risco de inflamação crônica incluem

  • idade
  • obesidade
  • uma dieta rica em gorduras prejudiciais à saúde e adição de açúcar
  • fumar
  • baixos hormônios sexuais
  • estresse
  • problemas de sono

As doenças de longo prazo que os médicos associam à inflamação crônica subclínica incluem:

  • asma
  • úlcera péptica crônica
  • tuberculose
  • artrite reumatoide
  • periodontite
  • colite ulcerosa e doença de Crohn
  • sinusite
  • hepatite ativa

A inflamação desempenha um papel vital na cura, mas a crônica subclínica pode aumentar o risco de várias doenças, incluindo alguns tipos de câncer, artrite reumatoide, aterosclerose, periodontite e rinite alérgica.

Leia também::: Açúcar na alimentação realmente faz mal?

Fique atento ao seu corpo

A inflamação faz parte do processo pelo qual o sistema imunológico defende o corpo de agentes nocivos, como bactérias e vírus. No curto prazo, pode ser bastante útil, embora também possa causar desconforto.

A crônica ou de longo prazo, entretanto, pode causar e resultar de algumas condições graves e possivelmente fatais.

Por isso, pessoas com tumores, artrite reumatoide, doença inflamatória intestinal, reações a medicamentos e outros problemas de saúde podem ter níveis altos de PCR, que é um sinal de uma resposta imune inflamatória.

Mas à medida que os cientistas aprendem mais sobre o papel da inflamação nas doenças, suas descobertas podem levar a tratamentos mais eficazes para várias doenças que ainda não têm cura, como o diabetes tipo 1.

Espero que tenha compreendido as diferenças entre a inflamação aguda e a crônica subclínica. E para aprofundar seu conhecimento, confira também o vídeo que gravei para meu canal dando o play abaixo!

Deixe um comentário