You are currently viewing Qual a relação entre colesterol e menopausa?

Qual a relação entre colesterol e menopausa?

Colesterol e menopausa costumam ter uma relação bastante próxima. Afinal, nesta fase da vida da mulher ela tem uma redução nos níveis hormonais, e com isso aumenta os níveis de colesterol, que são a principal matéria-prima dos hormônios.

O colesterol alto geralmente não apresenta sintomas, e uma pessoa só pode perceber que o tem depois de sofrer um ataque cardíaco ou derrame. Por isso, é importante estar atento aos níveis de colesterol do corpo, e procurar entender as causas, e não apenas querer maquiar os sintomas com medicamentos.

No artigo que preparei abaixo, explico de forma mais detalhada a relação entre colesterol e menopausa, e ao final do artigo também compartilho um vídeo que preparei sobre o tema. Siga a leitura e tire suas dúvidas!

A menopausa

A menopausa é uma fase natural da vida que ocorre quando uma mulher não menstrua mais por mais de 12 meses. Em média, isso ocorre por volta dos 51 anos.

Mudanças hormonais ocorrem nesta fase da vida. Marcadamente, os ovários produzem menos estrogênio, e os níveis gerais desse hormônio reprodutivo diminuem.

Sintomas desconfortáveis, mas comuns, podem ocorrer como resultado. Estes podem incluir ondas de calor, falta de sono, secura vaginal, suores noturnos, alterações de humor e um metabolismo mais lento.

Após a menopausa, os riscos para a saúde também mudam, incluindo um risco aumentado de doenças cardíacas. O aumento do risco de doença cardíaca é principalmente devido ao efeito da menopausa nos níveis de colesterol.

Leia também::: Testosterona é indicada para mulheres?

O papel do colesterol

O colesterol tem uma má reputação, graças ao seu conhecido papel na promoção de doenças cardíacas. 

O excesso de colesterol na corrente sanguínea é um dos principais contribuintes para a placa de entupimento das artérias, que pode se acumular e preparar o terreno para um infarto. No entanto, o papel do colesterol em seu corpo não é totalmente negativo.

O colesterol como uma gordura cerosa, amarelo-esbranquiçada e um bloco de construção crucial nas membranas celulares. 

O colesterol também é necessário para produzir vitamina D, hormônios (incluindo testosterona e estrogênio) e ácidos biliares que dissolvem gordura. 

Na verdade, a produção de colesterol é tão importante que seu fígado e intestinos produzem cerca de 85% do colesterol que você precisa para se manter saudável. Apenas cerca de 20% vem dos alimentos que você come. 

Colesterol e menopausa

Embora homens e mulheres possam ter níveis elevados de colesterol, as mulheres correm maior risco mais tarde na vida após a menopausa. 

Isso ocorre porque o estrogênio cai drasticamente durante a menopausa. O estrogênio é um hormônio que tem sido associado a níveis mais altos de colesterol HDL. 

Lembre-se, o colesterol HDL é do tipo bom, que ajuda a remover o LDL das artérias e de volta ao fígado. No entanto, níveis mais baixos de estrogênio após a menopausa podem significar que seus níveis de HDL começam a diminuir e seus níveis de LDL começam a aumentar. 

Portanto, mesmo que você nunca tenha tido níveis elevados de colesterol antes, essas alterações hormonais podem ter um impacto significativo. 

Um estudo descobriu que os níveis de colesterol aumentaram drasticamente de um ano antes a um ano após o último período para as mulheres que participaram do estudo. 

É por isso que é importante conversar com seu médico sobre o colesterol e como mantê-lo em níveis saudáveis ​​durante e após a menopausa. 

Leia também::: Qual a função da ocitocina para nosso corpo?

Fique atenta aos seus níveis hormonais

Como vimos, colesterol e menopausa andam juntas e os riscos de ter níveis mais altos de colesterol no organismo são maiores, devido à redução hormonal nessa fase da vida da mulher.

É por isso que é fundamental ter o acompanhamento médico, para avaliar sua condição geral de saúde. Mas caso perceba níveis anormais de colesterol, mais que usar medicamentos para camuflar os sintomas, é necessário descobrir as causas.

Uma investigação hormonal pode auxiliar a entender as razões do aumento nos níveis de colesterol, e encontrar formas de tratar essa alteração. Assim, é possível dar mais qualidade de vida à mulher, sem a necessidade do uso de medicamentos como estatinas.

Por fim, espero que tenham compreendido a ligação entre colesterol e menopausa e, para ampliar ainda mais a discussão, compartilho abaixo um vídeo sobre o tema que gravei para meu canal do Youtube. Dê o play e confira!