You are currently viewing Adoçante artificial faz mal?

Adoçante artificial faz mal?

Se você está tentando comer menos açúcar, pode ter tentado o adoçante artificial. E por serem uma maneira atraente de reduzir o teor de açúcar e calorias nos alimentos, eles estão amplamente disponíveis em produtos alimentícios industrializados e nas prateleiras dos supermercados. 

Inclusive, pesquisas mostram que a ingestão de adoçantes artificiais aumentou 54% em adultos e 200% em crianças nas últimas décadas.

Mas, os adoçantes artificiais são realmente melhores para você do que o açúcar? Na verdade, não é bem assim, e é sobre isso que explico no artigo abaixo!

O que são adoçantes artificiais? 

O adoçante artificial é um aditivo alimentar destinado a servir como substituto do açúcar. Eles são feitos combinando quimicamente diferentes moléculas em um laboratório. 

Os adoçantes artificiais têm maior potência de doçura do que o açúcar e seu uso é ​​para dar sabor a certos alimentos e bebidas.

 Alguns desses adoçantes podem ser de 200 a 13.000 vezes mais doces que o açúcar de mesa. Por causa de sua doçura, são necessárias porções menores para dar sabor a alimentos ou bebidas, resultando em menos calorias por grama.

Ao contrário do açúcar, os adoçantes artificiais não fornecem calorias ou energia ao corpo, pois não são decompostos pelo sistema digestivo. 

Atualmente, existem quatro adoçantes artificiais aprovados no Brasil:

  • Aspartame
  • Sacarina
  • Ciclamato de sódio
  • Sucralose

Leia também::: 5 pilares para uma vida em equilíbrio

Os efeitos dos adoçantes artificiais

Embora os adoçantes artificiais permitam reduzir as calorias, eles também facilitam o excesso de alimentos e bebidas doces.

Estudos em animais mostraram que os adoçantes artificiais podem fazer com que os quilos aumentem e, mais alarmante, levar a tumores cerebrais, câncer de bexiga e outras condições. 

Ou seja, a pesquisa mostrou que os adoçantes artificiais podem afetar diferentes partes do seu corpo.

Saúde intestinal

Embora os adoçantes artificiais não sejam absorvidos, eles ainda podem atingir a microbiota intestinal, o que pode afetar sua composição e função e contribuir para o desenvolvimento da síndrome metabólica.

Em um estudo, os pesquisadores adicionaram sacarina, sucralose ou aspartame à água potável de camundongos de 10 semanas de idade. Ademais, onze semanas depois, os camundongos que beberam a solução de água com açúcar desenvolveram intolerância à glicose, ao contrário de outros camundongos que consumiram apenas água, glicose ou sacarose. 

Os pesquisadores concluíram que a intolerância à glicose devido ao consumo de sacarina alterou a microbiota intestinal. 

Câncer

Os primeiros estudos indicaram que uma combinação de ciclamato e sacarina causou câncer em estudos com animais. 

Outros estudos de adoçantes artificiais mostraram que não há associação entre esses adoçantes e vários tipos de câncer. Por isso, mais estudos aidna precisam ser feitos para comprovar esta ligação.

Apetite, Desejos e Peso

Um estudo descobriu que os participantes que frequentemente bebiam bebidas adoçadas artificialmente tinham IMCs mais altos. 

Outro descobriu que 2,7% a 7,1% a mais dos usuários regulares de adoçantes artificiais ganharam peso em comparação aos não usuários. 

Estudos também mostraram que a água adoçada com aspartame aumentou o apetite em homens adultos com peso normal e aumentou a fome em comparação com a glicose ou a água sozinhas. 

Além disso, em outro estudo, o aspartame, o acessulfame de potássio e a sacarina foram todos ligados a comer mais, com o aspartame tendo o maior efeito devido à falta de sabor amargo. 

Existe uma correlação entre desejos e certos sabores como doçura. Os adoçantes artificiais podem fazer você querer e procurar alimentos adoçados. 

Diabetes

Uma porção da maioria dos adoçantes não nutritivos tem pouca ou nenhuma caloria. Mas como esses adoçantes têm um perfil de intensidade de sabor que pode ser de 200 a vários milhares maior que o açúcar de mesa, uma fração da quantidade é necessária para adoçar os alimentos.

No entanto, estudos mostraram que comer demais alimentos que contêm adoçantes artificiais pode levar a alterações no metabolismo da glicose ou na maneira como seu corpo digere e usa o açúcar. 

O consumo excessivo de adoçantes artificiais tem sido associado ao ganho excessivo de peso e complicações de saúde, como diabetes tipo 2. 

Dores de cabeça

Alguns estudos analisaram a ligação entre adoçantes artificiais e dores de cabeça. Ou seja, eles mostraram que dores de cabeça em uma pequena porcentagem de indivíduos podem ter como causa o uso de aspartame ou sucralose.

As dores de cabeça, por exemplo, podem ter como causa o uso prolongado de adoçantes em bebidas dietéticas e não necessariamente com uma porção. 

Leia também::: Testosterona é indicada para mulheres?

Evite o açúcar, e também o adoçante artificial

Os adoçantes artificiais tornaram-se um substituto popular do açúcar para pessoas que procuram reduzir a ingestão de calorias. 

Mas consumi-los pode ter alguns efeitos colaterais prejudiciais. E ainda precisamos de mais pesquisas para entender exatamente como eles afetam nosso corpo. 

Até sabermos mais, é uma boa ideia limitar ao máximo a ingestão de adoçantes artificiais, assim como você deve fazer com o açúcar. 

Aliás, com o tempo, é possível melhorar o paladar e inclusive o desejo pelo doce deixa de existir. O que é ótimo para sua saúde em geral.

Por fim, espero que tenham gostado do artigo sobre adoçante artificial e os males que ele causa. E para saber também como ter uma vida mais saudável, conheça meu curso “A Cura Sem Medicamentos”. É só clicar no botão abaixo!