You are currently viewing Conheça os fatores biológicos da depressão: muito além das emoções

Conheça os fatores biológicos da depressão: muito além das emoções

A depressão é uma grave doença, e que causa vários problemas físicos e psicológicos. E há vários fatores biológicos da depressão envolvidos no processo.

A depressão, especialmente quando não tratada, pode realmente alterar o cérebro, tornando os episódios piores ou mais frequentes. 

Além disso, ela também afeta o corpo e a saúde física, causando fadiga, problemas digestivos, dores e outras complicações relacionadas às más decisões tomadas durante o humor deprimido. 

Ou seja, conhecer quais os fatores biológicos da depressão é uma das melhores formas de evitar essa doença. E é sobre eles que abordo no artigo abaixo. Confira!

O que é a depressão?

De acordo com um estudo da Nature de 2014, mais de 350 milhões de pessoas são afetadas pela depressão. Esse número, por conta da pandemia do coronavírus, deve ter crescido ainda mais.

Essa doença é uma das causas mais frequentes de deficiência e distúrbios comuns que afetam os seres humanos em todo o mundo. A população brasileira tem sido cada vez mais acometida por problemas de saúde mental, mas a tendência também se mostra global. 

Além disso, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), Brasil é o segundo com maior número de depressivos nas Américas, com 5,8% da população, ficando atrás somente dos Estados Unidos, com 5,9% de depressivos. 

A doença afeta 4,4% da população mundial O Brasil também é o país com maior prevalência de ansiedade no mundo: 9,3%.

Em contrapartida, durante a última década o maior acesso à tecnologia de imagens cerebrais permitiu que fosse medido a atividade neural e quantificassem os níveis de neurotransmissores. 

Como resultado, esses estudos revelaram muitas pistas sobre os fatores subjacentes que contribuem para a depressão e a fisiopatologia dessa doença.

Fatores biológicos da depressão

Esse processo que causa a depressão envolve diversos fatores, entre eles alguns biológicos, tais como:

Alteração no ciclo circadiano

O ciclo circadiano é o controle do cérebro em relação à noite e o dia. Ou seja, a liberação de um hormônio chamado melatonina faz com que sintamos sono à noite, e despertemos quando o Sol nasce no horizonte. 

Entretanto, a exposição às luzes artificiais à noite vem confundindo nosso sistema endócrino, que é o responsável pela liberação dos hormônios. Com isso, ficamos mais cansados, tristes e indispostos.

Estresse

O estresse é outro dos fatores biológicos da depressão. Sobretudo, ele ocorre devido nossa rotina diária entre trabalho, casa, filhos, e outras que acabamos adicionando à nossa vida cotidiana. 

Aliás, quanto mais estimulados, mais produziremos cortisol e adrenalina por conta dos ambientes estressantes. Assim, você pode vir a desencadear a chamada “Síndrome de Burnout”, que seria uma estafa mental e que tem, como próximo passo, a depressão.

Deficiências nutricionais

A falta de vitaminas, minerais e nutrientes é outro fator biológico envolvido na depressão. Por exemplo, sem nutrientes como zinco, vitamina C e D, selênio, magnésio, ômega-3, ferro, entre outros, nosso corpo sofre de apatia e tristeza.

Falta de exercícios

O sedentarismo está entre os principais vilões quando o assunto é depressão. Ou seja, ficar parado traz uma série de consequências ao corpo humano — projetado par se movimentar. 

Por isso, a falta de exercícios também está entre os fatores biológicos da depressão.

Leia também::: Quais hábitos você deve adotar hoje se quiser viver 100 anos?

Como identificar a depressão

Em síntese, a depressão é um transtorno de humor que envolve um sentimento persistente de tristeza e perda de interesse. Mas é diferente das flutuações de humor que as pessoas experimentam regularmente como parte da vida.

Entre os sinais e sintomas, estão:

  • um humor deprimido
  • redução do interesse ou prazer nas atividades antes apreciadas
  • uma perda de desejo sexual
  • mudanças no apetite
  • perda ou ganho de peso não intencional
  • dormir muito ou pouco
  • agitação, inquietação e ritmo para cima e para baixo
  • movimento lento e fala
  • fadiga ou perda de energia
  • sentimentos de inutilidade ou culpa
  • dificuldade de pensar, concentrar-se ou tomar decisões
  • pensamentos recorrentes de morte ou suicídio, ou uma tentativa de suicídio

Nas mulheres

Além disso, a depressão é quase duas vezes mais comum entre as mulheres do que entre os homens. Nas mulheres, costuma causar:

  • irritabilidade
  • ansiedade
  • mudanças de humor
  • fadiga
  • pensamentos negativos

Tipos de depressão exclusivos do sexo feminino, como:

  • depressão pós-parto
  • transtorno disfórico pré-menstrual

Nos homens

Homens com depressão têm maior probabilidade do que mulheres de beber álcool em excesso, mostrar raiva e assumir riscos como resultado do transtorno.

Outros sintomas de depressão em homens podem incluir:

  • evitar a família e situações sociais
  • trabalhar sem pausa
  • ter dificuldade em acompanhar o trabalho e as responsabilidades familiares
  • exibir comportamento abusivo ou controlador nos relacionamentos

Busque ajuda

Portanto, se você identificou algum comportamento, e vem sentindo uma tristeza ou falta de vontade em sua vida, pode ser sinal de depressão. Como dissemos lá no início, essa é uma doença série e que precisa se tratada.

Por isso, não tenha receio em buscar ajuda médica. Dessa forma, o profissional saberá fazer o melhor diagnóstico e indicar o  tratamento correto para você.

Espero que este artigo sobre os fatores biológicos da depressão seja útil a você. E para seguir recebendo dicas e informações, me siga nas redes sociais. Tenho canais no Youtube, Facebook e Instagram.

Deixe uma resposta