You are currently viewing Qual a relação entre depressão e hormônios?

Qual a relação entre depressão e hormônios?

Costuma-se dizer que a depressão e hormônios estão diretamente ligados. Mas infelizmente nem sempre os níveis hormonais dos pacientes são observados quando ele está deprimido.

Dessa forma, acabam tomando antidepressivos prescritos, no que chamo de médicos de papel. Apenas receitam medicamentos, sem compreender exatamente qual a causa da doença.

A depressão é uma doença em si, mas também pode ser um sintoma de outro distúrbio subjacente. 

Se o distúrbio subjacente não for tratado, os antidepressivos apenas colocarão um curativo no sintoma e não tratarão a causa.

No artigo abaixo falo sobre a relação entre depressão e hormônios, e quais podem desencadear sintomas depressivos caso estão em níveis não ideais.

Impacto dos hormônios na saúde mental

Os hormônios são mensageiros químicos que podem ter uma influência poderosa no cérebro e no seu bem-estar mental. 

Ou seja, quando os níveis hormonais estão equilibrados, você tende a ter um humor estável e a se sentir enérgico, motivado e mentalmente aguçado. 

Quando os níveis hormonais estão fora do normal, no entanto, você pode experimentar sintomas associados a doenças psiquiátricas, como depressão. 

Os sintomas podem incluir:

  • Tristeza
  • Ansiedade
  • Ataques de pânico
  • Mudanças de humor
  • Fadiga
  • Confusão mental
  • Distúrbios do sono
  • Libido baixa
  • Falta de motivação
  • Dificuldade de concentração

Das centenas de hormônios que nosso corpo produz, aqui estão quatro que podem causar sintomas de transtornos depressivos quando estão desequilibrados.

Leia também::: Saiba como identificar um distúrbio hormonal

Tireoide

A tireoide é uma pequena glândula em forma de borboleta que desempenha um papel poderoso em manter o cérebro e o corpo saudáveis. 

Além disso, está envolvido na produção de muitos neurotransmissores, incluindo dopamina, serotonina e GABA (ácido gama-aminobutírico), todos envolvidos na regulação do humor. 

Os problemas ocorrem quando a disfunção tireoidiana faz com que a glândula produza muito pouco hormônio (hipotireoidismo) ou muito hormônio (hipertireoidismo). 

Na verdade, a disfunção tireoidiana está diretamente ligada a um terço de todas as depressões.

Estrogênio

O estrogênio também influencia a produção dos neurotransmissores serotonina, dopamina e GABA. 

Muito ou pouco estrogênio pode alterar os níveis de neurotransmissores e levar a sentimentos de depressão.

Progesterona

Frequentemente chamada de “hormônio do relaxamento”, a progesterona tem um efeito calmante quando é produzida em níveis ideais. 

Quando os hormônios estão desequilibrados ou quando o hormônio do relaxamento está em falta, pode levar à depressão, bem como à irritabilidade, ansiedade, noites sem dormir e névoa do cérebro.

Testosterona

Em homens e mulheres, a testosterona ajuda a evitar a depressão, além do comprometimento cognitivo e do mal de Alzheimer. 

Além disso, foi demonstrado que os baixos níveis de testosterona aumentam os sintomas de depressão e ansiedade, como dificuldade de concentração, falta de motivação e fadiga.

Hormônios adrenais

As glândulas adrenais produzem os “hormônios do estresse”, como adrenalina, cortisol e DHEA. Ou seja, é natural que a adrenalina e o cortisol aumentem como uma reação ao estresse: eles são os hormônios de “luta/fuga”. 

No entanto, quando se tornam superativadas pelo estresse crônico, as glândulas supra-renais podem ficar fatigadas. 

Por exemplo, a fadiga adrenal se manifesta de diferentes maneiras, incluindo depressão, ansiedade e dificuldade de lidar com o estresse.

Durante a menopausa, as mulheres têm maior probabilidade de apresentar flutuações com o cortisol. 

Mas quando o cortisol aumenta, pode contribuir para o ganho de peso e a insônia. No entanto, quando os níveis diminuem, pode criar alterações de humor para incluir depressão.

Leia também::: Quais são os perigos da auto-suplementação?

Como superar a depressão?

Quando desequilíbrios hormonais estão por trás de seus sentimentos de tristeza e perda de energia, os antidepressivos não acertam sua mente. 

Mas, se ninguém testar seus níveis hormonais, você nunca saberá que a disfunção hormonal pode estar contribuindo para os sintomas depressivos. 

Isso pode fazer com que você vá de um medicamento antidepressivo para outro em busca de alívio, sem sucesso.

É por isso que é tão importante consultar um profissional de saúde que irá verificar seus hormônios como parte de uma avaliação abrangente. 

Mas quando você administra seus hormônios da maneira certa, pode melhorar os sintomas da depressão ao estabilizar seu humor, aumentar sua energia e dissipar a névoa do cérebro.

Por isso, caso você esteja enfrentando um período depressivo, ou tenha algum familiar ou amigo com essa condição, fale sobre a relação com os níveis hormonais. 

Dessa forma, o profissional de saúde poderá solicitar os exames necessários e suplementar caso seja necessário para a correção.

Espero que o artigo sobre depressão e hormônios tenha sido útil. E para mais dicas e informações, siga meu canal no Youtube!

Deixe um comentário