You are currently viewing O que é reposição hormonal e porque é importante?

O que é reposição hormonal e porque é importante?

Entender o que é reposição hormonal é essencial para quem deseja preservar a saúde e qualidade de vida.

Infelizmente, sei que esse conceito nem sempre é bem claro para todas as pessoas. Ao falar de “hormônios”, é comum que essa palavra esteja associada a usar hormônios sintéticos para fazer que os músculos cresçam, ou ao desenvolvimento de câncer e outras desordens fisiológicas.

Por isso, é importante desmistificar esse assunto antes de entender o que é reposição hormonal.

O que são hormônios?

Hormônios são mensageiros químicos liberados pelas glândulas endócrinas e liberados na corrente sanguínea com objetivo de conectarem-se às células-alvo ou órgãos.

É por isso que consideramos hormônios como pequenas chaves nessas ligações, onde as células, por sua vez, contam com receptores para esses hormônios.

O encontro entre hormônio e célula traduz-se em uma reação bioquímica no organismo. É dali que vem a sensação de bem-estar, energia, disposição.

Sem os hormônios, não existe vida!

A produção de hormônios costuma ser regular até por volta dos 20 anos. A partir dessa idade, muitos dos hormônios essenciais à vida caem em sua produção, o que pode gerar uma série de sintomas nas pessoas.

Por que ocorre o declínio hormonal?

Conforme a idade avança, a nossa natureza sábia como é compreende que não há razões para seguir com a produção hormonal da mesma forma. Em especial os hormônios sexuais, responsáveis pela reprodução, entram em declínio, afinal, do ponto de vista biológico, espera-se que o ser humano cumpra essa função de reproduzir-se até os 30 anos, no máximo.

Esse processo ocorre com todos os animais. A diferença é que o ser humano vive por muito mais tempo além do período reprodutivo e esse declínio ocorre muito antes da menopausa ou andropausa.

Assim, os hormônios tendem a ficar com uma menor taxa de concentração no organismo.

A partir dos 25 anos

A partir dessa idade, temos a queda do GH, conhecido por ser o hormônio do crescimento. É por isso que, principalmente entre as mulheres, é muito comum sentir que o corpo já não responde da mesma forma aos exercícios físicos e à alimentação.

Isso porque as funções do GH vão muito além do crescimento e fortalecimento ósseo. Estão relacionadas à regeneração e reparação celular, manutenção da massa muscular e também pela quebra de gorduras (lipólise).

Não significa que devemos repor o GH após os 25 anos, porém, significa que precisamos de uma alimentação que favoreça os bons níveis equilibrados a fim de evitar sua queda drástica.

Aos 30 anos

É muito comum que a melatonina tenha uma queda após os 30 anos. Mesmo pessoas que dormiram bem ao longo da vida podem relatar uma dificuldade em relação ao sono após os 30 anos devido a esse declínio.

O mau sono pode levar a outros problemas, como o mau humor, a indisposição e até o ganho de peso. Quando não dormimos bem, sentimos uma maior necessidade de consumir açúcar, o que gera todo um desequilíbrio no organismo.

É um efeito dominó com consequências ruins para a nossa fisiologia e reflete em prejuízos à saúde e bem-estar. Um médico pode avaliar cada caso específico para verificar a possibilidade de suplementar melatonina.

Aos 35 anos

Nessa fase, diminuímos a produção de DHEA no organismo. Esse é o hormônio responsável pelo controle do estresse. Assim, quando entra em declínio, os níveis de cortisol acabam subindo.

A partir dos 35 anos, todas as pessoas apresentam a tendência de sentir-se mais estressadas, com a paciência muito mais limitada. Simplesmente porque baixou o DHEA e aumentou o cortisol.

Aos 40 anos

Após essa idade, a produção de testosterona diminui. As mulheres passam a ter a libido mais baixa, com menos lubrificação e também indispostas. Aumenta a propensão à depressão e ansiedade. Por isso, em alguns pacientes, pode ser indicado iniciar a reposição de testosterona.

Menopausa: entre os 50 e 55 anos

Nessa fase, todos os hormônios sexuais entram em queda, como o estradiol e a progesterona. Isso além de todos que já caíram há muito tempo.

Quando a mulher entra na menopausa, a queda hormonal é global. Lembre-se que nosso corpo funciona como uma orquestra que precisa estar em equilíbrio para ter saúde.

A reposição hormonal

É importante que um médico avalie os hormônios de cada indivíduo para prescrever a reposição hormonal da forma correta. Além da prescrição, também é fundamental que o paciente seja acompanhado de perto.

Junto da reposição hormonal, deve ser combinada uma rotina saudável de atividade física e alimentação adequada com objetivo de devolver ao organismo o bem-estar e a imunidade necessárias para viver bem durante longos anos.

Reposição hormonal não é fórmula mágica. É preciso que o indivíduo contribua para que tudo dê certo.

Espero que este artigo te ajude a compreender o que é reposição hormonal e sobre a importância dos hormônios para a saúde global.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.